A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE: O CASO DOS ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO

  • Abel Da Costa Cassule Instituto Superior de Ciências de Educação do Huambo
  • Anibal João Ribeiro Simões Universidade Agostinho Neto
Palavras-chave: identidade, diferenças, individuo, construção social

Resumo

O presente estudo visa fundamentalmente interpretar o conceito de identidade e aplica-lo ao nível das diferenças individuais numa amostra de estudantes do curso de mestrado da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto, na cidade de Luanda. O mesmo teve como referencial, as abordagens sobre identidade de Stuarte HalI, Zigmund Bauman e Antony Giddens. Utilisou-se, a abordagem qualitativa; participaram do mesmo 30 sujeitos através da aplicação de uma entrevista estrutuda. Os dados foram submetidos a análise de conteúdo através do (software Nivo 10). A idade mínima dos participantes foi 29 e a máxima 48 anos. A análise dos dados, indica por um lado, que a identidade é uma construção e é eficaz no desenvolvimento da personalidade pelo que deve ser respeitada e considerada tendo em conta as diferenças individuais; e por outro revela que, para além da percepção do próprio sujeito, (experiências pessoais) outras instituições sociais influenciam na sua construção nomeadamente a família, a escola como instituição de excelência, os grupos de influência, o estado bem como as instituições religiosas. Concluiu-se que a identidade é um recurso em construção e, é produto resultante das relações sociais económicas e culturais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Guiddens, A. (2004). Sociologia. 4ª Edição revista e actualizada. Fundação Calouste Gulbenkian.

Andalo, C. (2006). Medição grupal, uma leitura histórica ou cultural. S. P: Agora editora.

BAUMAN, Z. (2005). Identidade: Entrevista a Beneditto Vecchi/ Zigmunt Bauman. Editorial ZAHAR.

Biaggi, S. D. de & Paiva, J. J. de (2004). Psicologia Emigração e Cultura. SP: Casa do Psicólogo.

Campos, A. E. M. (2001). Identidade e diferença no nascimento da Universidade. R Janeiro: Epapers, 260 p.
Deschamps & Moliner, (2009). Psicologia Social. S. Paulo.

Faria, E. de; Sousa, V. L. T. de. (2011). Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP. Volume 15, Número 1, Janeiro/Junho de 2011.

Fortes, C. C. (2013). o Conceito de Identidade: considerações sobre sua definição e aplicação ao estudo da História Revista Mundo Antigo – Ano II, V. 2, N° 04 – Dezembro ISSN 2238-8788.

Jobin, (1994). Infância e Linguagem, São Paulo: Papirus.

HALL, S. (1992). A identidade cultural na pós-modernidade; 10ª Edição. R.Janeiro, editora DP& A, 2005.

Hotmann, H. (1999) Como trabalhar intuitivamente com os símbolos: Inspiração, Meditação, protecção e cura; S.P: Pensamento.

Jr, Aécio A. & Joanildo A. B, Inclusão social identidade e diferença : perspectivas pós – estruturalistas de Análise Social (2006), Editora : Annablume. Sao Paulo, 328 pg.

Kulé-K. (2014). Educação e identidade Negra, Brasil: Edufal

Pinto, C. R. (2011). Jardim Teoria da Democracia: Diferenças e identidade na contemporanêdade. Editora Edipucrs, porto Alegre.

Silva, T. T da (). A produção social da identidade e da diferença: Editora Vozes, 12ª Ed.

Simões, A. (2016) Representações sociais sobre a inclusão social dos jovens Angolanos em Luanda. Universidade Agostinho Neto.

Silva, P. da, (2008). Trabalho cidadania e reconhecimento, Editora : Annablume, S. Paulo.

Marra, M. M. (2008) Grupos intervenção educativa em metodos sociopsicologicos dramáticos S.P: Agora

Ribeiro, A. (2005) Conceito de identidade nos estudos culturais britânicos e Latino-Americanos: Um resgate teórico.

Veloso, L. (2007) Empresas, identidades e processos de identificação 1ª edição, Lisboa: UP.

Villa, R.A. D. (1999) Da Crise do realismo a segurança global multidimencional, SP:Annablume, 239 P.

Zilio, D. (2010) A natureza comportamental da mente, S.P: Cultura académica.
Publicado
2018-09-27
Como Citar
Cassule, A., & Simões, A. (2018). A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE: O CASO DOS ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO. Revista Órbita Pedagógica, 5(3), 72-81. Obtido de http://revista.isced-hbo.ed.ao/rop/index.php/ROP/article/view/188
Secção
Artigos