A ACTIVIDADE INVESTIGATIVA E EXTENSIONISTA NA ESCOLA SUPERIOR PEDAGÓGICA DO NAMIBE. TENDÊNCIAS E DESAFIOS

  • Bernardo Manuel Camunda Escola Superior Pedagógica do Namibe
Palavras-chave: Processos substantivos, investigação científica, extensão universitária

Resumo

De acordo ao estatuto da carreira docente do ensino superior, são tarefas do corpo docente, além da prestação do serviço docente, o desenvolvimento de trabalhos de investigação científica e de extensão universitária, entre outras. Uma das grandes preocupações das Instituições de Ensino Superior (IES) em Angola é a conciliação destas actividades na classe docente, facto que se repercute na fraca produção científica das IES. O presente estudo tem como objectivo a elaboração e implementação de uma estratégia de actuação da direcção da Escola Superior Pedagógica do Namibe - ESPdN, visando a realização de actividades de investigação científica e de extensão universitária, por parte dos docentes. Durante o estudo se elabora um diagnóstico do estado da investigação científica e da extensão universitária em relação aos docentes da ESPdN e sobre essa base se desenha uma estratégia que envolve os docentes em tarefas de investigação científica e de extensão universitária, para o desenvolvimento profissional da classe docente. Se trabalha no estudo com todos 52 docentes da ESPdN em tempo integral, dos quais cinco são efectivos, vinte cinco são expatriados e vinte e dois são contratados por destacamento. Pretende-se alcançar um equilíbrio entre as actividades docentes, de investigação científica e de extensão universitária desenvolvidas pelos docentes da ESPdN, por formas a elevar os níveis de desempenho dos docentes e da instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ander-Egg (1978). Introducción a las técnicas de investigación social: para trabajadores sociales. 7.ed. Buenos Aires: Humanitas.

Bunge, M. (1977). Teoria e realidade.São Paulo. La ciencia, su método y su filosofía. Buenos Aires: Siglo veite.

Castellanos, D. (2001). Psicología para educadores. Ciudad de la Habana: Editorial Pueblo y educación

Hegenberg, L. (1973). Explicações científicas: Introdução a filosofia da ciência. 2. Ed. São Paulo: Pionera.

Ima-Panzo, J. B.(2018). Extensão Universitária em Angola: Tendências, acções e projecções. Luanda: Mayamba editora

Jolivet, R. (1979). Curso de filosofia. 13. ed. Rio de Janeiro: Agir.

Leontiev, A. N. (1981). Actividad, conciencia y personalidad. La Habana: Editorial Pueblo y Educación.

Marconi, M. A. e Lakatos, E. M. (2011). Técnicas de pesquisa. São Paulo: Editora Atlas S.A.

Menéndez, G. (2016). Desarrollo y conceptualización de la extension Universitaria. Argentina: Universidad Nacional de Litoral. Disponible en: https://www.unl.edu.ar/iberoextension/dvd/archivos/ponencias/mesa3/el-desarrollo-local-y-la-ext.pdf

Paulo, A. M de J. e Perez- Lemuz, L. (2018). Metodologia de Investigação Educativa. Bié: Yossu Editora.

Selltiz et al. (1965). Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: Erder: Edusp.

Trujillo (1974). Metodologia da Ciência. 3. ed. Rio de Janeiro: Kennedy.

Vera, A. (1979). Metodologia da pesquisa científica.5.ed. Porto Alegre: Globo.
Publicado
2019-01-09
Como Citar
Camunda, B. (2019). A ACTIVIDADE INVESTIGATIVA E EXTENSIONISTA NA ESCOLA SUPERIOR PEDAGÓGICA DO NAMIBE. TENDÊNCIAS E DESAFIOS. Revista Órbita Pedagógica, 6(1), 73-85. Obtido de http://revista.isced-hbo.ed.ao/rop/index.php/ROP/article/view/217
Secção
Artigos