O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O MEIO AMBIENTE NO CONTEXTO ESCOLAR À LUZ DO CONTRIBUTO DO SERVIÇO SOCIAL

  • Daniel Luciano Muondo Instituto Superior de Serviço Social de Luanda
Palavras-chave: Serviço Social, Educação Ambiental, Desenvolvimento Sustentável

Resumo

O artigo propõe-se a apresentar a temática sobre o Desenvolvimento Sustentável e a Preservação Ambiental com referência à importância da educação para o meio ambiente no contexto escolar à luz do Serviço Social. Trata-se de uma abordagem decorrente dum estudo realizado no ano de 2015, resultante duma pesquisa realizada na Escola N.º 2044, no Município de Belas, Província de Luanda, desenvolvida por estudantes do Curso de Licenciatura em Serviço Social, como requisito parcial para obtenção do grau de Licenciadas, tutorada pelo exponente. A educação ambiental está presente na vida dos seres desde o início de sua existência na terra, pois, para sua sobrevivência era imprescindível o homem saber relacionar-se com o meio ambiente.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Buza, A. G. (2009). Ecologia e Teologia em Diálogo diante da Crise Ambiental. Bélem, SãoPaulo. Graphitte.

Calleja, J. M. R. (2008). Professores deste Século. Algumas Reflexões. Revista institucional da Universidade de Tecnologica de Chocó.

CFESS/ABEPSS (2009). Direitos Sociais e Competências Profissionais. Brasília.

Cuba, M. A. (2010). Educação Ambiental nas Escolas. Universidade de Taubaté.

Francisco, P. (2015). Louvado Sejas - Carta Encíclica Laudato Sí' Sobre o Cuidado da Casa Comum. Paulinas Editora. São Paulo.

Jacobi, P. (2003). Educação Ambiental, Cidadania e Sustentabilidade. Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental da USP.

Korb, A. (2009). Saúde ambiental: concepções e interpretações sobre meio ambiente e sua relação com a saúde humana. São Paulo.

Luckesi, C. C.(1992). Filosofia da educação. São Paulo: Cortez.

Minayo, M. C. de S. (2006). Saúde e ambiente: uma relação necessária. In: Campos, G. W. de S. et all. Tratado de saúde colectiva. Fiocruz, Rio de Janeiro.

Montaño, C. (2009). A Natureza do Serviço Social. 2ª Edição. São Paulo: Cortez Editora.

Prodanov, C. C.; Freitas, E. C. (2013). Metodologia do Trabalho Científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho académico. 2.ª Edição. Feevale: Novo Hamburgo.

Ramos, E. C. (1996). Educação ambiental: evolução histórica, implicações teóricas e sociais uma avaliação crítica. Universidade Federal do Paraná.

Augusto, L. G. da S; Freitas, C. M; Torres, J. P. M (2002). Risco ambiental e contextos vulneráveis: implicações para a vigilância em saúde. Informe Epidemiológico do SUS. Recife. Disponível em: http://www6.ensp.fiocruz.br/repositorio/sites/default/files/arquivos/RiscoAmbiental.pdf

Freitas, C. M. de (2003). Problemas ambientais, saúde colectiva e ciências sociais. Ciência Saúde Colectiva. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232003000100011&script=sci_abstract&tlng=pt

Vargas, L. A.; Oliveira, T; F. V. de (2007). Saúde, meio ambiente e risco ambiental: um desafio para a prática profissional do enfermeiro. Revista de Enfermagem. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v15n3/v15n3a21.pdf

Angola - Lei N.º 5/98, de 19 de Junho de 1998, Lei de Bases do Ambiente.
Publicado
2019-05-20
Como Citar
Muondo, D. (2019). O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O MEIO AMBIENTE NO CONTEXTO ESCOLAR À LUZ DO CONTRIBUTO DO SERVIÇO SOCIAL. Revista Órbita Pedagógica, 6(3), 64-79. Obtido de http://revista.isced-hbo.ed.ao/rop/index.php/ROP/article/view/257
Secção
Artigos