SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL DAS COMUNIDADES DE CACHINDONGO E BONGA, PROVINCIA DE HUAMBO

  • Abílio Santos Malengue Faculdade de Ciências Agrárias (UJES)
Palavras-chave: Sensibilização, Ambiente, florestas, Carvão vegetal

Resumo

O presente trabalho visou sensibilizar desde o ponto de vista ambiental as comunidades de Cachindongo, pertencente a comuna de Cuima, município da Caála e a comunidade de Bonga pertencente a comuna do Alto-Hama, município da Londuimbali, ambos municípios da Província do Huambo. Utilizou-se como metodologia de trabalho o diagnóstico Rural participativo. Os entrevistados foram seleccionados mediante uma amostra aleatória simples, com um erro amostral de 5% e nível de confiança de 95%. Participaram da entrevista na comunidade de Bonga 59 indivíduos, sendo que 7 do género feminino e 52 do género masculino. Já em Cachindongo foram entrevistados 167 indivíduos, sendo que 11 foram do género feminino 156 género masculino. As comunidades estudadas demostraram interesse aquando da realização do presente trabalho e reconhecem os perigos que podem surgir se continuarem com produção de carvão de forma insustentável. Contudo invocam existir dois principais factores que influenciam na pressão sobre a floresta, nomeadamente o nível de pobreza que ainda prevalece no seio das comunidades e o aliciamento por parte dos intermediários, no processo de venda do carvão vegetal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADPP. (2018). Manual de produção do forno Casamance. Projecto piloto de produção do Carvão Sustentavel. Luanda. Angola. Obtenido de www.adpp-angola.org

Bahú, A. M. (2015). A Comercialização do carvão vegetal versus insustentabilidade das florestas naturais baseado num estudo de caso nas aldeias de Nazaré e calombonos município de Longonjo e Caála, província do Huambo. Huambo: Faculdade de Ciências Agrárias .

Bernardes, S. T., Márques, F. T., e Batista, G. A. (2013). Abordagem qualitativa na pesquisa educacional: um relato sobre as produções no Triângulo Mineiro. Inter-Ação, Goiânia. doi:DOI 10.5216/ia.v38i1.25154

Caetano, T. P. (2012). Perfil Florestal de Angola. 1º Congresso dos Engenheiros. Lisboa: IDF.

Silva, E. A.; Carvalho, M. J. (2009). Educação em Angola e desiguladedes de genero.Acta do X Congresso Internacional Galego-Portugues de Psicopedagogia. Braga: Universidade do Minho (978-972-8746-71-1, 2401-2416.

Chaves, E. S., Henriques, P. D., Carvalho, M. L., e Francisco, M. A. (2009). Rendibilidade e comercialização da cultura da cenoura e da batata-rena na comuna da Calenga – Huambo – Angola. (C. Portugal, Ed.) Rev. de Ciências Agrárias, 32(2).

Chipindo, P. C. (2018). A Educação Ambiental e o desenvolvimento sustentavel. Revista Órbita Pedagógica, VI(1), 51-62. Obtenido de http://revista.isced-hbo.ed.ao

Diniz, C. A., Aguiar, F. Q. (1996). Geomorfologia, solos e ruralismo da região central angolana. Instituto de Investigação Agronómica de Angola.

Fernandes, A. M. (2014). Análise da produção de madeira para o fornecimento sustentável de energia doméstica aos centros urbanos. Curitiba-Brazil: UFPR.

Gonçalves, H. V. (2016). Facotres volumetricos e diametricos de forma e de perfil do fuste da especie Pericopsis angolensis na aldeia de Calombo. En F. d. Agrarias (Ed.). Huambo: DGTPF.

INE. (2014). Recenciamento geral da população e da habitação de Angola . Launda: INE.

Malengue, A. S.; Mateos, D. A.; Dovala, L. L. (2018). Estrutura y dinamica de la regeneración de una popblación de miombo en la localidad de Chianga, provincia de Huambo-Angola. Revista digital de Medio Ambiente "Ojeando la agenda" (1989-6794), 35-53.

MINAMB. (2006). Política Nacional de Florestas, Fauna. Luanda: Ministerio do ambiente.

Oliveira, M. F. (2011). Metodologia científica:. Goias-Brasil: CATALÃO-GO .

Pereira, C., Michaque, M., Kanji, F. (2002). Estratégia de Capacitação na área de Certificação Floresta. Maputo-Moçambique: UEM/FAEF/DNFFB – GRNB.

Pradeiczuk, A., Renk, A., Danieli, M. A. (2015). Percepção ambiental no entorno da unidade de conservação parque estadual das Araucárias. (N. 38/39 - 2015).

Quissindo, I. A. (2018). Estimación del comportamiento del fuego en quemada controlada en la hacienda experimental del Ngongoinga (Huambo-Angola). Revista electronica del medio embiente "ojeando la agenda"(1989-6794), 60-76.

Russo, V. (2007). Quadro de Gestão Ambiental e Social. Projecto Agrícola de Produtores Familiares orientado para o Mercado (MOSAP). Luanda.

Saket, A. (1994). Relatório de M. em A Atualização do Inventário de Floresta nacional Exploratório. (M. (FAO/UNDP, Ed.) Moçambiqui: DNFFB.

Sanfilippo, M., Bacchin, M., Moretti, M. V. (2017). Gestão participativa dos recursos florestais. Manual operativo para o miombo angolano. Italia: COSPE, Firenze.

Santos, G. E. (2016). publicacoesdeturismo.com.br. Recuperado el 23 de Abril de 2018, de publicacoesdeturismo.com.br: http://www.calculoamostral.vai.la

Santos, P. G., Bertol, I., Campos, M. L., Neto, S. L., Mafra, Á. L. (2012). Classificação de terras segundo sua capacidade de uso e identificação de conflito. Revista de Ciências Agroveterinárias, p. 146-157.

Sardinha, R. M. (2008). Estado, dinâmica. Huambo: IMVF - Instituto Marquês de Valle Flôr.

Teixeira, S. F. (2010). Educação para a sensibilização ambiental: uma construção de toda a sociedade UPE_PE. Researchgate.net, 34-39. Obtenido de https://www.researchgate.net/publication/318838066

Verdejo, M. E. (2003). Diagnóstico Rural participativo. Cdentro Cultural Poveda.

Viana, Á. L., Lopes, M. C., Neto, N. F., Kudo, S. A., Guimarães, D. F., Mari, M . L. (2014). Análise da percepção ambiental sobre os parques urbanos da cidade de Manaus, Amazonas. Revista do Centro do Ciências Naturais e Exatas - UFSM, Santa Maria, 13(5). doi:DOI:10.5902/22361308115179

Wentz, F. M., Nishijima, T. (2011). A educação ambiental como meio de ação nas atividades agrícolas para preservação dos solos e da água nas comunidades rurais do município de santo ângelo - RS. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, 4(4), 558 - 571. Obtenido de https://periodicos.ufsm.br/reget
Publicado
2019-05-20
Como Citar
Malengue, A. (2019). SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL DAS COMUNIDADES DE CACHINDONGO E BONGA, PROVINCIA DE HUAMBO. Revista Órbita Pedagógica. ISSN 2409-0131, 6(3), 119-134. Obtido de http://revista.isced-hbo.ed.ao/rop/index.php/ROP/article/view/261
Secção
Artigos